Artigos

Sistemas

Sistema Aderido ou Não Aderido

As pessoas que contratam serviços de impermeabilizações são facilmente levadas a aceitar argumentos falsos, pelos quais se pretende defender este ou aquele sistema, por lhes faltarem conhecimentos específicos. Um exemplo deste gênero de argumento refere-se ao teste de aceitação de uma impermeabilização concluída, que é feito inundando-se a área com água. Se a impermeabilização for aderida, pela natureza do sistema aderido, a laje é colmatada e não poderá apresentar vazamentos, não sendo o teste uma garantia de bom desempenho a longo prazo, ao passo que, sendo a impermeabilização executada com mantas não aderidas, o teste acusa eventuais falhas de execução e se torna válido, pois, se não vaza no teste, também não irá vazar depois, resguardada a premissa de que não será danificada a impermeabilização propositalmente ou por ignorância.

COMPARAÇÃO ENTRE SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO
QUESITOS DESVANTAGEM VANTAGEM
Mantas Aderidas ou Membranas Feitas “in Loco” Mantas Termoplásticas Não Aderidas
Desempenho em relação a fissuras da laje de concreto armado. As fissuras concentram o esforço sobre as mantas no local onde elas ocorrem. As membranas aderidas tendem a romper junto com o substrato. As membranas precisam ser espessas, bem armadas e constituídas de composto que se mantenham plásticos ou elásticos, para darem bom desempenho. Os movimentos se diluem e as mantas não estão sujeitas ao rompimento no local onde ocorrem as fissuras, pois elas ficam separadas do substrato.
Teste de água sobre as impermeabilizações. O teste de água no final do serviço da impermeabilização não é válido, porque os poros do concreto da laje são todos colmatados superficialmente. Os defeitos oriundos de má execução não de manifestam a curto prazo. O teste de estanqueidade acusa imediatamente qualquer defeito de execução, porque a água que passa pelas mantas vai aparecer rapidamente. Os poros do concreto não foram colmatados.
Dificuldade para encontrar pontos de vazamento. Caso a membrana fosse aplicada diretamente sobre o concreto da laje, os pontos corresponderiam aos pontos de infiltração, porém, como a manta é aplicada sobre a argamassa de caimento, que não está colada ao concreto da laje, a água se desvia pelos interstícios da argamassa e do concreto, saindo em lugar distante daquele por onde está entrando. As infiltrações raras vezes ocorrem no meio da área impermeabilizada e 90% dos eventuais problemas são oriundos da á execução dos arremates da periferia, que são facilmente identificados. A impermeabilização pelo sistema não aderido tem que ser feita por um aplicador autorizado que esteja apto a corrigir os defeitos, que são identificados facilmente nos testes de água.
Maior rapidez de execução Sempre requerem no mínimo, uma imprimação e o uso de um adesivo, ou derreter e esparramar o asfalto para colar as mantas. Se o sistema for de múltiplas aplicações de produtos emulsionados ou em solução, a execução passa a ser mais demorada. É o sistema de execução mais rápido possível. Em poucas horas podem ser impermeabilizadas grandes áreas que imediatamente se tornam estanques, permitindo maior economia de tempo e dinheiro.
Adversidade ao mau tempo. Muito influenciados pelo tempo chuvoso e a umidade na laje, sujeitos a perda de produto e serviço se ocorrer chuva repentina. Em época de chuvas sucessivas, com apenas curtos intervalos de estiagem, o serviço pode ficar paralisado por vários dias, e até semanas. As mantas podem ser colocadas mesmo sobre lajes úmidas, com auxílio de espargimento de cimento, para absorver vestígios de umidade. Chuvas repentinas não estragam o serviço já feito. É o sistema que não complica e que menos atrasa os cronogramas de obras.
FISCALIZAÇÃO, facilidade de inspecionar com controle de qualidade. Os produtos aplicados por pinturas ou melação a quente para aderir as mantas são susceptíveis de adulteração. É difícil controlar os empregados para que apliquem uma espessura uniforme. As próprias irregularidades do substrato causam acúmulos de produto nas depressões e nos caimentos, falhas de recobrimento nas saliências. O controle de qualidade é difícil e o cliente corre o risco de ser burlado. A empresa pode ser honesta, mas não há como descobrir desvios, a não ser que o acompanhamento seja feito assiduamente por engenheiros. As mantas para esse sistema são industrializadas. A espessura é uniforme e controlável, a qualidade do produto, os empregados não podem adulterá-la. A quantidade contratada não pode ser burlada e é de fácil medição e acompanhamento, ou seja: a quantidade aplicada é igual a quantidade contratada. Os rolos de mantas contêm metragens corretas, controladas na fábrica eletronicamente.